Padrões Florísticos

18:32 Lauana Buana Fidêncio 0 Comments



E se ele vivesse de transcendências? Se ele caísse de um altiplano para outro mais elevado ainda, cotidianamente, no enquanto se desenrolam as horas mortas, e se...? 

E se ele travasse com as coisas do mundo um tal diálogo que suprisse aquela ânsia de frase rasteira, aquele querer de ladainhas, e se...? 

E se ele fosse mesmo profundo, abissal e complexo como a geometria de um segredo? Não seria pois, ele, a nódoa em riste a embaraçar mesquinhez-água-boricada dos teus pretéritos?   



0 comentários: