Palimpsesto

22:07 Lauana Buana Fidêncio 1 Comments


Escreva por cima!

Esse parece ser um daqueles segredos tão antigos quanto o tempo e que, mesmo assim, passa praticamente desapercebido aos olhos desesperados que acaso buscam uma solução para aquilo que poderíamos chamar __ surrupiando aqui o nome duma grata pintura __ a persistência da memória.

Afinal, que fazer com as marcas que não se quer mais, com aqueles rabiscos de ímpeto e erro que ainda não se apagaram do muro baldio da nossa memória? Ou com o behaviorismo não mais aceitável dos gestos? O que fazer afinal para se proteger minimamente a sanidade e/ou a benfazeja paz do presente?

Escreva por cima!

Faça pois do inelutável um inelutável e desista de vencê-lo... escreva por cima... refaça... recicle... essa afinal não é a ordem maior do nosso tempo?, seja homem e reaproveite o máximo de si, mesmo o que te mata é de grande serventia.

Escreve por cima!

Cada diorama de lembrança delicadamente esmaecido pela aguarrás do tempo, corroído pelo sal das tuas lágrimas, deve ser enfrentado e vencido, a não ser que queiras um fantasma a assombrar indefinidamente os seus sonhos noturnos, deves vencer o passado antes que ele lhe soçobre o edifício da alma.

Escreva por cima!

Não de modo a tentar ignorar o que há por baixo. Por baixo há os escombros do que foste um dia e do que ainda es, mesmo que seja em ínfima parte. Os andaimes da realidade hão de manterem-se sempre em delicado equilíbrio.
Por um sopro o teu dia desmorona, o teu ontem te invade ou o teu amanhã lhe sucumbe!
Aceite que assim o seja e tome reparo nas curvas...

Escreva por cima!

Da poeira se ergue um ínfimo grão de nada e, ao bater dum raio quente, ele brilha como uma pequena estrela, antes de novamente baixar ao nada e ao mofo. Eis a vida, em sua síntese de miséria e esplendor.

Escreva por cima!

Ou abandone-se e aceite que uma portentosa corrente do inexorável, inelutável e impudico passado, vez por outra, há de lhe afogar sem remédio, sem ponto de fuga, ou pior, sem salvação.  

1 comentários:

Se gostar, participe!
Para aqueles que participaram do Atentado Cultural em agosto de 2011, este projeto vai servir como uma luva!
Escreva um poema, doe um livro, cante no trânsito, espalhe arte, distribua palavras interessantes, mande sua ideia e vamos fazer deste mundo um lugar mais humano, mais gentil, mais inteligente.

Vamos agir:
08/06/13
Vamos repetir o Atendado Cultural de 2011! Escolha um livro que você já leu e passe adiante. "Esqueça" em algum lugar público com um bilhetinho explicando que quem achar o livro está recebendo um presente do projeto Palavreando o Mundo! E vamos divulgar, minha gente.
https://www.facebook.com/events/503224639744241/?fref=ts