Quando o poeta cai do andaime

23:48 Lauana Buana Fidêncio 1 Comments

O segredo da melodia era uma severa constrição... o segredo era que doia mesmo. O segredo era que ele passava seus dias olhando pro dicionário, repetindo palavras estranhas como se fosse um mantra. O segredo era que ele amava um bom papel, uma caneta de boa tinta, uma manhã penumbrosa em que pudesse se perder em pensar em coisas ínfimas. O segredo era que ele não dava a mínima pro preço do feijão. O segredo era que ele passava mais tempo com as palavras de gente morta que falando com as pessoas na fila do banco, no terminal de ônibus. O segredo era que ele era míope e meio corcunda. O segredo era que ele fumava como uma puta. O segredo era que ele vivia com muito pouco dinheiro. O segredo era que ele cobiçava mais edições raras que uma ferrari. O segredo é que não havia porra nenhuma que explicasse o motivo daquele menino pálido e de olhos bonitos ter se tornado um calado, um recluso, um inútil e esgarço poeta...