Quarteto de Sombras

23:56 Lauana Buana Fidêncio 1 Comments

A altivez da asa aberta
O olhar de deter-se
O imiscuir-se
O entre

O tudo de um destino
Aquele

A aresta ameaçando
O frágil do peito

O equilíbrio esgarçando
Dois polos de queda
O tremor exigindo
Duas taças de vinho

O sonegado
O chorado
O supino

O desatino
O desatino

E tudo para não tocar
Não aludindo
Tudo para não tocar
O fato sibilino...

Tudo para não dizer:
"__Mamãe, ainda tenho medo do escuro..."

1 comentários:

Velharia disse...

ou dizer:"Mãe! Já acabei!" ou "Mãe! Vem limpar!"