Círculos concêntricos

22:46 Lauana Buana Fidêncio 1 Comments

"Eu escrevo, Lauana dorme..."
Leon de Aguiar




É... e o segredo deve de ser não pensar muito. É... é porque se a gente pára para pensar enferruja as dobraduras, os passos daí então ficam mui rijos, os vincos da boca não se amenizam nem nos sorrisos de cortesia. É... e fica tudo uma belezura, só vendo seu moço, só vendo...

É... e náo pensar, por exemplo, que a nossa vida é uma imensa canalhice daquelas tão sem propósito que fica difícil de achar trejeitos que nos justifiquem, que nos redima, nós os inredimíveis.

É... mas é que é tudo mui insólito Maria, como uma montanha de sorvete de nata em pleno Saara. Pois que grã e inútil me saiu esta imagem, pois que safadeza de raciocínio hein menina?!

Pois que merda se pode ainda dizer uma rapariga hoje em dia?? Hein?? Pois pois..., pois se morre aos bocados não é mesmo? Se morre aos bocados todos os dias, antes que aquele grande piano preto que é a morte caia sobre nossas desprevenidas cabeças.

É... e lá vamos nós, o mundo nosso de cada dia morre pelas bordas, e no entanto ele morre à revelia, pois que o milenar dever de nós todos é aquele de tampar o sol com a peneira grossa e continuar.

Continuar o quê mesmo? Continuar um ato que seja menos descontínuo talvez... Continuar as péssimas rimas, os péssimos sonetos, os péssimos juízos de valores os péssimos pessimismos, os péssimos passos pelos péssimos caminhos.

É... vá lá que quem se importe seja bem pouca gente. Pois a vida, a vida é muito antiga e o fogo, o fogo nunca é brincadeira...

É?... Pois é...

1 comentários:

Velharia disse...

Lauana sonha...