Menção Honrosa...

19:01 Lauana Buana Fidêncio 3 Comments

Qual o sentido implícito numa medalha que se confere a um poeta? Qual a origem das distinções positivas nesse âmbito?
"Menção Honrosa"!, quer me parecer extremamente frustrante...
Menção honrosa me remete as atitudes nobres: a coragem, ou ao que quer que seja, de uma pessoa diametralmente diversa de qualquer uma daquelas que escrevem poemas...
menção Honrosa!? Mas eu nunca morri na guerra, nunca salvei uma vida, nem gosto de crianças...

Uai, não é dinheiro o prêmio?...
Aah, ganhei uma medalha?!... Mas eu nunca venci a São Silvestre, nunca joguei volei, nem ao menos xadrez...
Mas é isso então: medalha poética?! E diz aqui, tão me premiando, me distinguindo por que? Por causa do meu esforço sedentário, meu treinamento cafeínico, minha dieta nicotínica, ou será pelo meu humor-negro, minha ironia talvez?, ah!, vai dizer que são meus olhos?! Agradaram da minha carinha triste, meu visualzinho conspícuo e introspectivo, o meu sorriso?! Não?... mas então o quê????

Ah, deixa pra lá, num precisa explicar não!...
Não calma!, eu amei a medalha, a mensão honrosa! Não!, é lindo, de verdade minha senhora!! Nãao, num vô jogá fora nãao, eu juro!!...
Olha, faz assim: eu mando a medalha pra minha mãe! Claaaro! Ela vai ficar muuito orgulhosa... Ééé, mães adoram medalhas, e, e eu nunca ganhei uma na vida!... Pode ter certeza viu?, ela vai ficar orgulhosaa!...

Nãaao,... claaro!... Eu também!, É..., siim! Eu me orgulho de mim também!!...
Siim,... eu rezo... eu sei!!, Deus é importante!!...
Não. Não, trabalho não!... Mas..., mas eu estudo... É, num penso em trabalhar por agora não, ... mas eu vou... Voou sim!... Casá?!... uai?!... eu nunca...
Claaaro! Pode colocar meu nome na oração sim!... De maneira nenhuma!..., eu num sô contra não..., como eu disse: Deus é importante... Obrigadaa, obrigada meesmo!...
Vai com Deus a senhoraaa também, obrigada!, inté...

__ Caraaaalho!!!, preciso de um cigarro...

3 comentários:

Velharia disse...

Uma das metaliteraturas mais verdadeiras do mundo! Muito bom poema>

Velharia disse...

Fico muito feliz de ler tão boas poesias, sou leitor teu, degusto sua obra, hoje, ela se aproxima de outras artes, hoje sua poesia é Jazz, cheio de sacada, cheio de detalhe, vem no improviso, mas tem uma base feita e reta, uma batida, um beat, se analisarmos aquela historia do Dom Veronez, não usamos mais títulos literarios, usa-se títulos musicais, títulos de musicas instrumentais, como eu e vc fugimos da literatura somos tachados de quebrados, tortos e desconexos,anfiguri do processo, porem, isso tem mais marcas de continuidade do que uma literatura pura, poesia não fica mais na mão de um Adorno, fica na mão dos loucos, dos que menosprezam Leminsk e correm atrás de outras estruturas, por que ninguem nunca falou dos temas?
Quando agente mata alguem no soneto e coloca o título "eu matei" esta certo?
Sim.
Mas precisa?
Não quero que ninguem me escute, quero que a literatura seja escutada, analisada e levada para longe dessa literatura mediocre do século passado, mais exatamente do final de 70 pra cá. Argumentar coisa do passado é foda, Dom Veronez não aceita, mas a lógica poética mudou, não é invenção nossa, ele não foi críticado pesadamente como nós. A você tudo de bom e boas festas.

T. Salieri disse...

Chega de homenagens, eu quero é o dinheiro. Mas uma bulinada no ego tb eh prazeroso, aaa XD