Cartas Rotas

19:34 Lauana Buana Fidêncio 2 Comments


Que as rosas digam...

Não! As rosas não dizem nada
Em verdade, nunca,
Nada jamais foi dito
Sob os carcinomas retóricos
De uns suspiros delgados
De moça...

Metáforas ensombrecidas
Ou enlodadas de mau gosto
Sensaborias e sebes rendadas
Suspiros de soslaio tédio
Gemidos de querubins
Enfado...

Pantomimas púberes pelos bosques
Picardia imberbe sob os gerânios
Gesso engessando um gesto gasto
De mão, luva e cetim descarnado
Alardeando enamorado
Em metros destros
E esforçados
Um fingir frouxo,

Posto rimado.

2 comentários:

Kamikaze Kiwi disse...

Mais um desabafo velado/rasgado com relação à meninas diante do verso...

Bo i na disse...

Que fortes!!!

gostei muito desses dois últimos...

intaum... eu to reescrevendo tudo sem fotos com correções e organizando um pouco tudo...