O Inacreditável É

23:40 Lauana Buana Fidêncio 1 Comments

...um clichê de fingir não ter dor,
Leon D`Aguiar
Inacreditável morrer estando vivo,
Mais velho e mais forte...
Hiroshima e Auschwitz
Pairando nos cílios
Em cilício
E silêncio
Creditável apenas ao proscrito
Intumescendo putrefato.
Inacreditável que Deus permita,
Omita-lhe um tal láudano
Aos olhos tão narcísicos
Afogados numa poça
De um seu vômito
Tão homérico...
Imperdoável que se não venham
Matronas e amas de alabastro
Cuidados de seda e trigo
Cantigas e beijo casto...
Lastimável que se lhe dragem
Em face decrepitude,
Ao espelho de doce face,
Antigo menino algodoado
Protegido entre postigos
Amado entre uns latidos
Que mais não nos procede
Entre montanhas rudes...
Imputável aos quatro ventos
Aos Deuses e adventos
Que se lhes sucedem
Os rumos de sanha
E sina, de tal lodo
Plexo e homem
Rasgando à pequenina
Moira de mil moagens
Entredentes de um tal desprezo
Insofismável...

1 comentários:

Velharia disse...

Ter tamanho no corpo da poesia e ter muita coisa na cabeça, ter poesias assim no mundo é esperança? será assim Lauana?