Le Cauchemar



Porque pesadelo em francês é mais bonito;

Zonas Frias das Gôndolas




Berenice suspeitava que se ficasse um suspiro só mais triste, do triste que estava, um abismo se abriria em seu peito e de lá, do alto, ela cairia para o silêncio, para o irremediável, para o frio, para o escuro, para o moroso e compungido inferno, para o final sem glórias do apodrecimento, para o desenredo das poalhas... 

Berenice cairia para a noite derradeira em derradeiro desespero. 

Bem, que sei eu de tristezas... isso era o que suspeitava Berenice. 

Inferências Canalhas V



Nunca espere nada muito promissor de um mundo 
no qual até as palavras são esdrúxulas.




Réquiem para um Punk



E no entanto, estais morto...
tão morto quanto uma sequoia imensa
seca à beira da eternidade,
como um entrave que eras
ao bom andamento
dos dias de semana

E no entanto, em mim,
alguma coisa morre,
de tempos em tempos,
ao lembrar teus galhos
para sempre perdidos no silêncio
soterrados sob cinzas úmidas e rimas dissonantes
nunca resgatadas dos bancos pálidos das praças.

Dois Quilos de Silêncio



Daqueles densos, meio tênues, todavia
Daqueles de morte, posto que morte é contrário
Do grito que grita mais que aquela Dalva
A explodir num desdobrar de infinitos

Dois Braços de Saudades

Num vórtice de mágoas seculares
mordidos de amores todavia
 sem síntese quedavam-se aos séculos
cindidos por um denso entremares


Condenados aos largos antagônicos
quando aos longes, nas soleiras debruçados,
dois braços separados de saudades.

Inferências Canalhas IV



The Fracasso is The New Black, ou o Pretinho Básico da Vida Adulta.




Geometria da Noite




__ A verdade me causa frio e pudores... 

__ Qual verdade? 

__ A de que existe uma geometria da noite da qual pouco sabemos. 

__ Qual noite?

__ Aquela mesmo a que temes, aquela cravada de estrela pontudas feito dentes, aquela soterrada por úmidos escuros.

__ Não temo noite alguma!

__ Todos tememos a noite! É o resto instintivo de bom senso da raça...

__ Não temo!

__ Se não temesse não passarias assim tantos anos sem contemplar vaga e longamente as estrelas. 




Dicionário de Aforismos Truncados XII



Escrever é instaurar o marco duma cisão com a própria vida, nunca o contrário. 
Nunca a tola crença que enlaça o vulgo no sadismo onisciente dessa trama. 



Réquiem para Escritores Ingênuos



Há um dia em que os meninos crescem. Há um dia em que as raparigas desabrocham em flor e malícia. Há um dia em que um escritor se consagra no altar da autoaceitação. O dia da verdade será o dia em que aceitares que este é o teu deserto, escritor!



No dia clarividente em que acaso aceites que comunhão é o delírio dos insensatos. Posto que, em verdade, quando as horas mortas sufocam os delírios bovinos dos homens, a mesquinharia dos pares pulula mais exasperante que aqueles pirilampos desesperados sobre o dorso da mais escura das noites.